1ª Série - Itinerários das ÁREAS

Linguagens e suas Tecnologias​

A partir de uma juventude marcada por contextos culturais e sociais diversos, os jovens intensificam seus conhecimentos sobre seus sentimentos, interesses, capacidades intelectuais e expressivas; ampliam e aprofundam vínculos sociais e afetivos; e refletem sobre a vida e o trabalho que gostariam de ter.

Por ser um período de vida caracterizado por mais autonomia e maior capacidade de abstração e reflexão sobre o mundo, os jovens, gradativamente, ampliam também suas possibilidades de participação na vida pública e na produção cultural. Eles fazem isso por meio da autoria de diversas produções que constituem as culturas juvenis manifestadas em músicas, vídeos, marcas corporais, jogos, moda, rádios comunitárias, redes de mídia da internet, e demais produções e práticas socioculturais que combinam línguas e linguagens e diferentes modos de conviver.

A área de Linguagens e tecnologias tem, assim, como princípio que a linguagem é estruturadora da condição humana. É por meio da linguagem que se instaura a subjetividade e a alteridade, processo possível devido ao inerente potencial humano de abstração e organização de códigos na produção de significados.

Com essa visão, a área tem a responsabilidade de propiciar oportunidades para a consolidação e ampliação das habilidades de uso e reflexão sobre as Linguagens. Portanto, consideram-se os fundamentos básicos de ensino e aprendizagem das Linguagens uma formação voltada a possibilitar umaparticipação mais plena dos jovens nas diferentes práticas socioculturais que envolvem o uso das linguagens. Para isso, priorizam-se três focos:

  • A ampliação da autonomia, do protagonismo e da autoria nas práticas de diferentes linguagens;
  • A identificação e a crítica aos diferentes usos das linguagens, explicitando seu poder no estabelecimento de relações;
  • A apreciação e a participação em diversas manifestações artísticas, lúdicas e culturais e o uso criativo das diversas mídias.