O Santa Maria acredita que cada criança tem seu momento, por isso não estabelecemos uma idade rígida para que o desfralde aconteça. Geralmente, a capacidade de controlar as necessidades fisiológicas começa por volta dos dois anos, ou mesmo antes, para algumas crianças. Cabe à escola estabelecer alguns combinados com as famílias para o início do desfralde e o uso do vaso sanitário. O ideal é que isso se dê de forma conjugada, tanto na escola quanto em casa.

Indicamos iniciar o desfralde em casa. Converse com seu filho e faça os combinados sobre o uso do banheiro, sobre agora não usar mais fraldas. Apresente e adapte o banheiro da casa para atender as necessidades da criança, mostre como se usa e inicie este momento de forma divertida.

Em parceria com a família, continuaremos este processo apresentando o banheiro da Escola, respeitando as individualidades de cada criança e incentivando mais esta conquista.

Seguem algumas orientações e dicas para que o desfralde seja um sucesso:

  • Uma vez retirada a fralda, independentemente do local onde a criança vá, o uso da fralda é proibido, pois isto pode confundir a criança.
  • É preciso ter cuidado em colocar as crianças por muito tempo no vaso sanitário, faça o convite, mas respeite a posição da criança.
  • Não brigue e/ou faça comparações.
  • Quando a criança não conseguir controlar os esfíncteres e acontecer escapes, é importante dizer que acontece quando estamos aprendendo a utilizar o banheiro.  A incompreensão e a intolerância do adulto podem prejudicar o desfralde e ter consequências negativas psicologicamente para a criança.
  • Observe recusas frequentes de ir ao banheiro, ou a criança ficar por dias sem fazer suas necessidades, isto pode ser um sinal de que ela não está preparada para a retirada da fralda.
  • Na fase de adaptação ao vaso sanitário e/ou penico, é bom que os pais deixem a criança à vontade, para experimentar várias vezes, o quanto desejar. Entenda que é uma novidade para ela.
  • É comum também que a criança se esqueça ou não tenha tempo de correr até o banheiro. Quando isto ocorre, cocô ou xixi é feito na roupa mesmo. Mas nada de bronca porque isso é comum, por este motivo os pais devem estar preparados com várias roupas quando saírem de casa ou quando a criança for para a escola.
  • Por volta dos dois anos e meio, a criança começa a fazer uso regularmente do banheiro, pois é nesta fase aproximadamente que a fala e a conduta representativa (função simbólica) confirmam uma nova relação com o real. Ou seja, ao falarmos a palavra xixi ou cocô a criança reconhecerá imediatamente do que se trata.
  • A ansiedade dos pais com relação a retirada das fraldas da criança pode ser encarada, pela criança, como uma tentativa de pressioná-la e isso, geralmente, causa um retrocesso no processo. O melhor é não pressionar, pois quanto mais se exige da criança, mais insegura ela fica e a transição, mais difícil.

Dicas úteis:

 ▪ Fique sempre por perto, e explique pausadamente, com tranquilidade, como se usa o banheiro e como se faz a higiene pessoal.

▪ Se a criança quiser dar descarga, não hesite, será parte do aprendizado.

▪ Fisiologicamente, a criança já está preparada para deixar as fraldas, mas o aspecto emocional deve ser trabalhado, pois ainda é considerada um bebê e, ao mesmo tempo, está entrando na meninice. “Ela quer as vantagens das duas etapas”.

▪ Lembre-se que, até então, existia um comportamento de dependência do uso da fralda, agora há uma necessidade diferente e que exige da criança maior autonomia e independência para satisfazer suas necessidades.

▪ Estimule a autonomia verbal da criança explicitando seus desejos de usar o banheiro para fazer xixi e cocô.

Referência: “Educação infantil pra que te quero”, de Carmem Maria Craidy e Gládis Elise P. da Silva Kaercher