As Irmãs da Santa Cruz fazem parte de uma congregação internacional de mulheres religiosas, pertencente à família Santa Cruz de irmãs, irmãos e padres.

Vivem o Evangelho e missão de Jesus, servem de várias maneiras diferentes aos povos por todo o mundo. Dedicadas às necessidades de pessoas em uma variedade de culturas e lugares, as Irmãs da Santa Cruz ministram em grandes hospitais e pequenas clínicas rurais; em escolas de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Supletivo, em Universidades; em igrejas e paróquias; nas ruas das cidades e nas remotas áreas rurais de oito países em quatro continentes.

Beato Basile-Antoine Marie Moreau – Fundador das irmãs, irmãos e padres da Santa Cruz.

Nascido em 11 de fevereiro de 1799, em Laigné-en-Belin, perto de Le Mans, na França, o Padre Moreau conheceu os efeitos devastadores da Revolução Francesa. Ordenado sacerdote aos 22 anos, lecionou no Seminário Maior, em Le Mans, sendo seu superior-assistente. Em Le Mans, fundou a Sociedade dos Sacerdotes Auxiliares, que deviam se dedicar ao ministério da pregação, da educação cristã e das missões estrangeiras.

Em 1835, a pedido do bispo, assumiu a direção dos Irmãos de São José, um instituto que tinha sido fundado em 1820 pelo Pe. Jacques Dujarié. Em 1° de março de 1837, os Padres Auxiliares e os Irmãos de São José uniram-se na Associação de Santa Cruz. Com a aprovação papal das constituições, dada em 13 de maio de 1857, esta Associação se transformou na Congregação de Santa Cruz. Em 1841, para melhor responder às necessidades da missão, tanto no interior da França como no Exterior, o Pe. Moreau fundou um grupo de religiosas. Atualmente, as irmãs formam três congregações diferentes: as Marianitas de Santa Cruz, as Irmãs da Santa Cruz e as Irmãs de Santa Cruz.

Para responder aos pedidos dos bispos, o Pe. Moreau enviou equipes de padres e irmãos para a Argélia (1840) e Estados Unidos (1841); equipes de padres, irmãos e irmãs para o Canadá (1847) e para a Índia (1853); e uma equipe de irmãos para a Itália (1850).

Atualmente, os religiosos e religiosas de Santa Cruz trabalham na Europa, América do Norte, América Latina, África e Ásia. Eles e elas exercem diversos ministérios para responder desta maneira a seu compromisso de continuar a missão de Jesus e o carisma do Padre Moreau.

As Irmãs da Santa Cruz fazem parte de uma congregação internacional de mulheres religiosas, pertencente à família Santa Cruz de irmãs, irmãos e padres.

Vivem o Evangelho e missão de Jesus, servem de várias maneiras diferentes aos povos por todo o mundo. Dedicadas às necessidades de pessoas em uma variedade de culturas e lugares, as Irmãs da Santa Cruz ministram em grandes hospitais e pequenas clínicas rurais; em escolas de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Supletivo, em Universidades; em igrejas e paróquias; nas ruas das cidades e nas remotas áreas rurais de oito países em quatro continentes.

Beato Basile-Antoine Marie Moreau – Fundador das irmãs, irmãos e padres da Santa Cruz.

Nascido em 11 de fevereiro de 1799, em Laigné-en-Belin, perto de Le Mans, na França, o Padre Moreau conheceu os efeitos devastadores da Revolução Francesa. Ordenado sacerdote aos 22 anos, lecionou no Seminário Maior, em Le Mans, sendo seu superior-assistente. Em Le Mans, fundou a Sociedade dos Sacerdotes Auxiliares, que deviam se dedicar ao ministério da pregação, da educação cristã e das missões estrangeiras.

Em 1835, a pedido do bispo, assumiu a direção dos Irmãos de São José, um instituto que tinha sido fundado em 1820 pelo Pe. Jacques Dujarié. Em 1° de março de 1837, os Padres Auxiliares e os Irmãos de São José uniram-se na Associação de Santa Cruz. Com a aprovação papal das constituições, dada em 13 de maio de 1857, esta Associação se transformou na Congregação de Santa Cruz. Em 1841, para melhor responder às necessidades da missão, tanto no interior da França como no Exterior, o Pe. Moreau fundou um grupo de religiosas. Atualmente, as irmãs formam três congregações diferentes: as Marianitas de Santa Cruz, as Irmãs da Santa Cruz e as Irmãs de Santa Cruz.

Para responder aos pedidos dos bispos, o Pe. Moreau enviou equipes de padres e irmãos para a Argélia (1840) e Estados Unidos (1841); equipes de padres, irmãos e irmãs para o Canadá (1847) e para a Índia (1853); e uma equipe de irmãos para a Itália (1850).

Atualmente, os religiosos e religiosas de Santa Cruz trabalham na Europa, América do Norte, América Latina, África e Ásia. Eles e elas exercem diversos ministérios para responder desta maneira a seu compromisso de continuar a missão de Jesus e o carisma do Padre Moreau.

Visite o site

Facebook

Instagram

Youtube

×

A compreensão do estar no mundo e a responsabilidade do sujeito

O mundo atual é caracterizado por uma dinâmica de mudanças muito intensa, que atingem as mais variadas esferas da vida. Aspectos da economia, política, meio ambiente, movimentos sociais, se transformam e se entrelaçam todos os dias produzindo acontecimentos em uma velocidade por vezes difícil de acompanhar. Os interesses dos atores envolvidos são das mais diferentes ordens, o que por vezes criam múltiplas formas de interpretação e uma real dificuldade das alunas e dos alunos de se posicionarem perante um acontecimento. Essa mesma variedade de interesses, acaba gerando formas diversas de narrativas e favorece o aparecimento de fenômenos como o de “pós-verdade”, conceito esse que designa o desvirtuamento de fatos já consolidados em nossa sociedade.

Nessa mesma dinâmica as chamadas “fake news” ganham força e contribuem cada vez mais com narrativas que buscam ocupar espaços de poder. Tudo isso alavancado pelo momento tecnológico que vivemos, no qual destaca-se a importância e o alcance das redes sociais tanto na propagação de notícias falsas quanto na expansão do alcance das mídias alternativas e tradicionais. A avalanche de informações que existe hoje dificulta o entendimento do movimento do mundo.  Por tudo isso, cresce a necessidade de que estudantes estejam atentos às novas condições de estar no mundo que se erguem na vida cotidiana, principalmente para se posicionar politicamente e saber agir com ética e responsabilidade.

Para isso propomos fazer uma leitura dos principais acontecimentos que ocorrem no Brasil e no mundo, através dos principais veículos de informação (tanto nacionais quanto internacionais) estabelecendo relações com os importantes conceitos das Ciências Humanas e fazendo a leitura de importantes analistas  do atual cenário do mundo contemporâneo. Os temas escolhidos para o curso  serão escolhidos no decorrer do ano letivo por conta de sua relevância na discussão pública e também de acordo com o interesse das estudantes e dos estudantes. 

Conteúdo Programático:

  • Conflitos políticos.
  • Crises econômicas.
  • Crises Ambientais.
  • Crises humanitárias.
  • Crises sanitárias.
  • Eleições nacionais (2022).

Clique aqui e veja o vídeo!